Newsletter Nº264

Newsletter Nº264
News­let­ter Nº264

Faz hoje anos que nas­cia, em 1792, o enge­nhei­ro e mate­má­ti­co fran­cês Gus­ta­ve-Gas­pard Cori­o­lis. Foi ele que des­cre­veu a for­ça que tem o seu nome — Cori­o­lis, um efei­to de movi­men­to num cor­po em rota­ção, de suma impor­tân­cia para mete­o­ro­lo­gia, balís­ti­ca e oce­a­no­gra­fia. Enquan­to as dife­ren­ças de pres­são ten­dem a empur­rar ven­tos em cami­nhos rec­tos, os ven­tos seguem cami­nhos cur­vos pela Ter­ra. Em 1835, Cori­o­lis pri­mei­ro deu uma des­cri­ção mate­má­ti­ca do efei­to, dan­do seu nome à for­ça Cori­o­lis. Enquan­to o ar come­ça a fluir de alta para bai­xa pres­são, a Ter­ra gira sob ela, fazen­do com que o ven­to pare­ça seguir um cami­nho cur­vo. No Hemis­fé­rio Nor­te, o ven­to vira à direi­ta de sua direc­ção de movi­men­to. No hemis­fé­rio sul, vira à esquer­da. A for­ça de Cori­o­lis é zero no equa­dor.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1850, o vul­ca­no­lo­gis­ta, sis­mó­lo­go e clé­ri­go ita­li­a­no Giu­sep­pe Mer­cal­li. Ele cri­ou a Esca­la de Inten­si­da­de Mer­cal­li (1902), como uma melho­ria da Esca­la de Ros­si-Forel. Foi orde­na­do sacer­do­te cató­li­co roma­no e mais tar­de tor­nou-se pro­fes­sor no semi­ná­rio de Milão. A inten­si­da­de na esca­la de Mer­cal­li é esti­ma­da com base nas obser­va­ções de pes­so­as que sofre­ram o ter­re­mo­to. Usan­do alga­ris­mos roma­nos, varia de I para agi­ta­ção imper­cep­tí­vel a XII para des­trui­ção catas­tró­fi­ca de estru­tu­ras. A revi­são pro­du­zi­da em 1931 pelos sis­mó­lo­gos ame­ri­ca­nos, Har­ry Wood e Frank Neu­mann, é conhe­ci­da como Esca­la de Inten­si­da­de Modi­fi­ca­da Mer­cal­li, ago­ra em uso. Enquan­to “mag­ni­tu­de”, como na Esca­la Rich­ter, clas­si­fi­ca um ter­re­mo­to pela ener­gia libe­ra­da na fon­te, “inten­si­da­de” des­cre­ve os efei­tos locais expe­ri­men­ta­dos pelos obser­va­do­res em qual­quer local do epi­cen­tro.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1858, o mate­má­ti­co e teó­ri­co fran­cês Édou­ard Gour­sat. Ele con­tri­buiu para a teo­ria das fun­ções, pseu­do-inte­grais e inte­grais hipe­re­líp­ti­cas e equa­ções dife­ren­ci­ais influ­en­ci­a­ram a esco­la fran­ce­sa de mate­má­ti­ca. O teo­re­ma de Cau­chy-Gour­sat defi­ne que a inte­gral de uma fun­ção em tor­no de um con­tor­no fecha­do sim­ples é zero se a fun­ção for ana­lí­ti­ca den­tro do con­tor­no. Cau­chy tinha esta­be­le­ci­do o teo­re­ma com a con­di­ção adi­ci­o­nal de que a deri­va­da da fun­ção era con­tí­nua. Em 1891, ele escre­veu Leçons sur l’in­té­gra­ti­on des équa­ti­ons aux déri­vées par­ti­el­les du pre­mi­er ordre. O tra­ba­lho mais conhe­ci­do de Gour­sat é o Cours d’a­naly­se mathé­ma­ti­que (1900–10), que intro­du­ziu mui­tos novos con­cei­tos de aná­li­se.

Nes­ta sema­na que pas­sou a asso­ci­a­ção SD anun­ci­ou a espe­ci­fi­ca­ção SD 8.0 para car­tões de memó­ria SD Express com velo­ci­da­des de trans­fe­rên­cia ain­da mais rápi­das usan­do a popu­lar espe­ci­fi­ca­ção PCI Express® (PCIe®) 4.0, que for­ne­ce uma taxa de trans­fe­rên­cia de dados de qua­se 4 gigaby­tes por segun­do (GB/s). Estes car­tões de tama­nho nor­mal con­ti­nu­am a usar o pro­to­co­lo da cama­da supe­ri­or do NVMe Express™ (NVMe™), per­mi­tin­do um meca­nis­mo avan­ça­do de aces­so à memó­ria.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos assim como pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­da a revis­ta Hacks­pa­ce­Mag Nº 31 de Junho.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº263

Newsletter Nº263
News­let­ter Nº263

Faz hoje anos que nas­cia, em 1925 o físi­co teó­ri­co isra­e­li­ta Yuval Ne’eman. Ten­do tra­ba­lha­do inde­pen­den­te­men­te de Gell-Mann, mas qua­se simul­ta­ne­a­men­te (1961), ele desen­vol­veu um méto­do de agru­pa­men­to de bári­ons de tal manei­ra que eles caí­ram em famí­li­as lógi­cas. Ago­ra conhe­ci­do como o Cami­nho Óctu­plo, o esque­ma agru­pa­va mésons e bári­ons (por exem­plo, pro­tões e neu­trões) em mul­ti­ple­tos de 1, 8, 10 ou 27 mem­bros com base em vári­as pro­pri­e­da­des. Ele foi che­fe da comis­são de ener­gia ató­mi­ca de Isra­el e fun­dou o pro­gra­ma espa­ci­al do país.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que os cien­tis­tas final­men­te con­se­gui­ram expli­car a razão da des­lo­ca­ção do nor­te mag­né­ti­co da Ter­ra. Uma equi­pa, lide­ra­da pela Uni­ver­si­da­de de Leeds, diz que o com­por­ta­men­to é expli­ca­do pela com­pe­ti­ção entre duas “bolhas” mag­né­ti­cas na bor­da do núcleo exter­no da Ter­ra. As mudan­ças no flu­xo de mate­ri­al der­re­ti­do no inte­ri­or do pla­ne­ta alte­ra­ram a for­ça das regiões aci­ma do flu­xo mag­né­ti­co nega­ti­vo. “Esta mudan­ça no padrão de flu­xo enfra­que­ceu o sis­te­ma no Cana­dá e aumen­tou leve­men­te a for­ça do sis­te­ma na Sibé­ria”, expli­cou o Dr. Phil Liver­mo­re.

Tam­bém nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que a Tes­la tem um pla­no para intro­du­zir uma nova bate­ria de lon­ga dura­ção e de bai­xo cus­to no seu vei­cu­lo Mode­lo 3 na Chi­na no final des­te ano ou no iní­cio do pró­xi­mo, que espe­ra tra­zer o cus­to dos veí­cu­los eléc­tri­cos em linha com a gaso­li­na mode­los e per­mi­tir que as bate­ri­as EV tenham uma segun­da e ter­cei­ra vidas na rede eléc­tri­ca. A nova bate­ria de “milhão de milhas” no cen­tro da estra­té­gia da Tes­la foi desen­vol­vi­da em con­jun­to com a Con­tem­po­rary Ampe­rex Tech­no­logy Ltd da Chi­na (CATL) (300750.SZ) e imple­men­ta a tec­no­lo­gia desen­vol­vi­da pela Tes­la em cola­bo­ra­ção com uma equi­pa de espe­ci­a­lis­tas aca­dé­mi­cos em bate­ri­as recru­ta­dos por Musk.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos assim como pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­da a revis­ta newe­lec­tro­nics de 12 de Maio.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº262

Newsletter Nº262
News­let­ter Nº262

Faz hoje anos que nas­cia, em 1909, o inven­tor e físi­co ame­ri­ca­no Edwin H. Land. Conhe­ci­do por fun­dar a Pola­roid, o seu pro­ces­so de uma fase para o desen­vol­vi­men­to e impres­são de foto­gra­fi­as foi a mai­or ino­va­ção em foto­gra­fia des­de a intro­du­ção do fil­me em rolo. Ele demons­trou pela pri­mei­ra vez a Pola­roid Land Came­ra em 1947, que pro­du­zia impres­sões total­men­te desen­vol­vi­das em ape­nas 60 segun­dos. Land tam­bém apli­cou o nome Pola­roid ao fil­tro de pola­ri­za­ção da luz que ele tinha inven­ta­do incor­po­ran­do cris­tais ade­qua­dos numa folha de plás­ti­co, ampla­men­te conhe­ci­da pelo seu uso nas len­tes dos ócu­los de sol. Os seus outros pro­jec­tos incluíam raios‑X ins­tan­tâ­ne­os, pro­jec­tor de fil­mes em 3D entre as mais de 500 paten­tes que ele pos­suía.

E che­ga­mos ao 5º ani­ver­sá­rio da news­let­ter do altLab. Com este núme­ro são 262 sema­nas con­se­cu­ti­vas a tra­zer noti­ci­as e pro­jec­tos que vão apa­re­cen­do na Inter­net e que mere­cem ser refe­ri­dos. Esta expe­ri­ên­cia tem sido pro­fun­da­men­te enri­que­ce­do­ra para mim, não só pelo conhe­ci­men­to que adqui­ro sema­nal­men­te ao deam­bu­lar pela Inter­net em bus­ca de novi­da­des e de pro­jec­to inte­res­san­tes para apre­sen­tar, como tam­bém por pode-lo par­ti­lhar com todos, cri­an­do na news­let­ter um índi­ce para coi­sas inte­res­san­tes que andam por ai.

O tra­ba­lho para cri­ar a news­let­ter sub­di­vi­de-se em dois momen­tos. Num pri­mei­ro momen­to que ocor­re ao lon­go de toda a sema­na é fei­ta a mar­ca­ção de páginas/artigos que são poten­ci­ais can­di­da­tos a incluir, isto envol­ve um esfor­ço nun­ca infe­ri­or a 1 hora por dia. Depois, no dia da news­let­ter é fei­to o tra­ba­lho de ler, selec­ci­o­nar e resu­mir todos os arti­gos a incluir, este tra­ba­lho é de cer­ca de 4 a 5 horas. Por­tan­to, para que esta news­let­ter che­gue todas as sema­nas exis­te um esfor­ço de cer­ca de 12 horas sema­nais da minha par­te para a cri­ar. As fer­ra­men­tas que eu uso são rela­ti­va­men­te rudi­men­ta­res, “fee­dly” para mar­car os arti­gos que apa­re­cem nos diver­sos feed de RSS que tenho subs­cri­to (cer­ca de 1000), depois usan­do o brow­ser abro os links para as pági­nas, dou uma lei­tu­ra, por vezes vou atrás da fon­te do arti­go e depois gra­vo a ima­gem de apre­sen­ta­ção, o link para o vídeo e o tex­to assim como o link e titu­lo para a pági­na. Isto fica tudo num fichei­ro de tex­to que pos­te­ri­or­men­te é pro­ces­sa­do por um script de Python que faz toda a for­ma­ta­ção e nor­ma­li­za­ção dos tex­tos e ima­gens pro­du­zin­do um fichei­ro final para a news­let­ter. A edi­ção das ima­gens é fei­ta com o GIMP e tudo isto é fei­to numa máqui­na com Linux Fedo­ra.

Sei que exis­tem diver­sas difi­cul­da­des em ace­der à news­let­ter, haven­do momen­tos em que a mes­ma se encon­tra ina­ces­sí­vel ou apre­sen­ta ima­gens que­bra­das. Ire­mos num futu­ro mui­to pró­xi­mo mudar a loca­li­za­ção do site do altLab para outro ser­vi­dor com mais capa­ci­da­de e espe­re­mos que nes­sa altu­ra esses pro­ble­mas fiquem resol­vi­dos.

Só me res­ta agra­de­cer o apoio que tenho de todos e enquan­to me for pos­sí­vel con­ti­nu­a­rei com esta tare­fa. E que venham mais 5!

E nes­ta sema­na que pas­sou a Star­link expli­cou a for­ma como vai fazer para que a rede gigan­te de saté­li­tes que está a colo­car em órbi­ta não afec­te os sis­te­mas de obser­va­ção astro­nó­mi­ca. Essa ope­ra­ção pas­sa por alte­rar a manei­ra como os saté­li­tes voam para sua alti­tu­de ope­ra­ci­o­nal, para que eles voem com os pai­néis numa ori­en­ta­ção em direc­ção ao Sol. Como se tra­ta de uma alte­ra­ção que pode ser fei­ta em Soft­ware, os enge­nhei­ros já estão a tra­ba­lhar nes­sa alte­ra­ção.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sas noti­ci­as, arti­gos cien­tí­fi­cos assim como pro­je­tos de maker. É apre­sen­ta­do o ebo­ok Rasp­ber­ry Pi Came­ra Gui­de que abor­da a nova câma­ra do Rasp­ber­ry PI lan­ça­da a sema­na pas­sa­da.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº261

Newsletter Nº261
News­let­ter Nº261

Faz hoje anos que nas­cia, em 1777, o mate­má­ti­co ale­mão Carl Fri­e­dri­ch Gauss. Ele foi res­pon­sá­vel pela trans­for­ma­ção de qua­se todas as áre­as da mate­má­ti­ca, para as quais o seu talen­to mos­trou-se des­de mui­to cedo. Pelas suas con­tri­bui­ções à teo­ria do mag­ne­tis­mo e da elec­tri­ci­da­de, uma uni­da­de de cam­po mag­né­ti­co foi deno­mi­na­da de gauss. Ele cri­ou o méto­do dos míni­mos qua­dra­dos na esta­tís­ti­ca, e sua cur­va de erro gaus­si­a­na per­ma­ne­ce bem conhe­ci­da. Ele ante­ci­pou o sis­te­ma SI na sua pro­pos­ta de que as uni­da­des físi­cas deve­ri­am base­ar-se em algu­mas uni­da­des abso­lu­tas, como com­pri­men­to, mas­sa e tem­po. Em astro­no­mia, ele cal­cu­lou as órbi­tas dos peque­nos pla­ne­tas Ceres e Pal­las por um novo méto­do. Ele inven­tou o heli­o­tró­pio para deter­mi­na­ção tri­go­no­mé­tri­ca da for­ma da Ter­ra. Com Wilhelm Weber, ele desen­vol­veu um telé­gra­fo elec­tro­mag­né­ti­co e dois mag­ne­tó­me­tros.

Faz igual­men­te anos hoje que nas­cia, em 1904 o mate­má­ti­co nor­te-ame­ri­ca­no Geor­ge Robert Sti­bitz. Foi con­si­de­ra­do por mui­tos como o “pai do com­pu­ta­dor digi­tal moder­no”. Enquan­to tra­ba­lha­va como mate­má­ti­co de pes­qui­sa nos Labo­ra­tó­ri­os Bell Telepho­ne, em Nova York, Sti­bitz tra­ba­lhou no equi­pa­men­to de comu­ta­ção de relé usa­do nas redes tele­fó­ni­cas. Em 1937, Sti­bitz, cien­tis­ta do Bell Labo­ra­to­ri­es, cons­truiu uma máqui­na digi­tal base­a­da em relés, lâm­pa­das de lan­ter­na e tiras de metal cor­ta­das de latas. Ele o cha­mou de “Mode­lo K” por­que a mai­or par­te foi cons­truí­da na sua mesa da cozi­nha. Ele tra­ba­lhou com o prin­cí­pio de que, se dois relés fos­sem acti­va­dos, eles cau­sa­ri­am a acti­va­ção de um ter­cei­ro, onde esse ter­cei­ro relé repre­sen­ta­ria a soma da ope­ra­ção. Além dis­so, em 1940, ele fez uma demons­tra­ção da pri­mei­ra ope­ra­ção remo­ta de um com­pu­ta­dor.

Por fim, faz anos hoje que nas­cia, em 1916 o mate­má­ti­co, enge­nhei­ro elec­tro­téc­ni­co e crip­tó­gra­fo nor­te-ame­ri­ca­no Clau­de Shan­non. Conhe­ci­do como “o pai da teo­ria da infor­ma­ção”. Shan­non é conhe­ci­do por ter fun­da­do a teo­ria da infor­ma­ção com um arti­go de refe­rên­cia, “Uma teo­ria mate­má­ti­ca da comu­ni­ca­ção”, que ele publi­cou em 1948. Ele tam­bém é cre­di­ta­do por ter fun­da­do a teo­ria do dese­nho de com­pu­ta­do­res digi­tais e de cir­cui­tos digi­tais em 1937, quan­do, como estu­dan­te de mes­tra­do de 21 anos no Ins­ti­tu­to de Tec­no­lo­gia de Mas­sa­chu­setts (MIT), escre­veu sua tese demons­tran­do que as apli­ca­ções eléc­tri­cas da álge­bra boo­le­a­na pode­ria cons­truir e resol­ver qual­quer rela­ci­o­na­men­to numé­ri­co lógi­co. Shan­non con­tri­buiu para o cam­po da crip­to-aná­li­se para defe­sa naci­o­nal duran­te a Segun­da Guer­ra Mun­di­al, incluin­do seu tra­ba­lho bási­co sobre deci­frar códi­gos e tele­co­mu­ni­ca­ções segu­ras.

Nes­ta sema­na que pas­sou ficá­mos a saber que o aste­rói­de 1998 OR2 pas­sou mui­to per­to da Ter­ra, a cer­ca de 6.3 milhões de qui­ló­me­tros que cor­res­pon­de a cer­ca de mais de 16 vezes a dis­tân­cia à Lua. Este cor­po celes­te tem cer­ca de 2 qui­ló­me­tros de diâ­me­tro e foi des­co­ber­to em Julho de 1998 pelo o Jet Pro­pul­si­on Lab da NASA.

Tam­bém nes­ta sema­na que pas­sou foi lan­ça­da a dis­tri­bui­ção Fedo­ra 32. As três edi­ções — Works­ta­ti­on, Ser­ver e Core­OS — foram lan­ça­das em simul­tâ­neo e tra­zem como gran­des novi­da­des o refres­ca­men­to das prin­ci­pais lin­gua­gens de pro­gra­ma­ção e bibli­o­te­cas de sis­te­ma, incluin­do o GCC 10, o Ruby 2.7 e o Python 3.8. Foi igual­men­te fei­to um esfor­ço para que as bibli­o­te­cas de Python 2 e as suas depen­dên­ci­as sejam remo­vi­das.

E nes­ta sema­na que pas­sou tam­bém foram come­mo­ra­dos os 30 anos do Hub­ble. As ima­gens icó­ni­cas e avan­ços cien­tí­fi­cos do Teles­có­pio Espa­ci­al Hub­ble da NASA / ESA rede­fi­ni­ram nos­sa visão do Uni­ver­so. A 24 de Abril de 1990, o Teles­có­pio Espa­ci­al Hub­ble foi lan­ça­do no Spa­ce Shut­tle Dis­co­very, jun­to com uma equi­pa de cin­co astro­nau­tas. Implan­ta­do na órbi­ta bai­xa da Ter­ra um dia depois, o teles­có­pio abriu nos­sos olhos para o cos­mos e trans­for­mou nos­so conhe­ci­men­to colec­ti­vo do Uni­ver­so.

Tam­bém esta sema­na foi lan­ça­da uma nova câma­ra para o Rasp­ber­ry PI. A câma­ra de alta qua­li­da­de de 12.3 mega­pi­xels, cus­ta cer­ca de 50€. A prin­ci­pal novi­da­de, além do aumen­to de qua­li­da­de é a pos­si­bi­li­da­de de ser aco­pla­do de for­ma sim­ples um con­jun­to de len­tes inter­cam­biá­veis. Esta câma­ra vem equi­pa­da com o sen­sor IMX477 da Sony.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos arti­gos cien­tí­fi­cos assim como pro­je­tos de maker. São apre­sen­ta­das a revis­ta newe­le­tro­nics de 28 de Abril e a Mag­PI nº93 de Maio de 2020.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.

Newsletter Nº260

Newsletter Nº260
News­let­ter Nº260

Faz hoje anos que nas­cia, em 1856 o inven­tor nor­te-ame­ri­ca­no Gran­vil­le Woods. Ele deti­nha inú­me­ras paten­tes em diver­sos cam­pos. Como o inven­tor negro mais pro­lí­fi­co da car­rei­ra do final do sécu­lo XIX e iní­cio do sécu­lo XX nos EUA, ele foi cha­ma­do de Black Edi­son. A pri­mei­ra paten­te de Wood (3 de Junho de 1884) foi para uma cal­dei­ra de loco­mo­ti­va a vapor. Ele fun­dou a Woods Elec­tric Com­pany, em Cin­cin­na­ti, Ohio, para desen­vol­ver comer­ci­al­men­te uma vari­e­da­de de dis­po­si­ti­vos eléc­tri­cos. Em 1887, ele paten­te­ou seu Syn­ch­ro­nous Mul­ti­plex Railway Tele­graph, que per­mi­tia a movi­men­ta­ção de com­boi­os para man­ter liga­ções de comu­ni­ca­ção, evi­tan­do aci­den­tes. As suas outras paten­tes incluíam um trans­mis­sor de tele­fo­ne, uma fer­ro­via eléc­tri­ca, uma incu­ba­do­ra eléc­tri­ca para incu­ba­ção de fran­gos (1900) e um impor­tan­te dis­po­si­ti­vo de segu­ran­ça — um freio a ar auto­má­ti­co para uso fer­ro­viá­rio.

Faz tam­bém hoje anos que nas­cia, em 1858 o físi­co teó­ri­co ale­mão Max Planck. Ele estu­dou em Muni­que e Ber­lim, com Helmholtz, Clau­sius e Kir­chhoff e pos­te­ri­or­men­te ingres­sou na facul­da­de. Ele tor­nou-se pro­fes­sor de físi­ca teó­ri­ca (1889–1926). O seu tra­ba­lho sobre a lei da ter­mo­di­nâ­mi­ca e a dis­tri­bui­ção da radi­a­ção de um cor­po negro levou‑o a aban­do­nar os prin­cí­pi­os new­to­ni­a­nos clás­si­cos e a intro­du­zir a teo­ria quân­ti­ca (1900), pela qual rece­beu o Pré­mio Nobel de Físi­ca em 1918. Isto pres­su­põe que a ener­gia é não é infi­ni­ta­men­te sub­di­vi­sí­vel, mas, no final de con­tas, exis­te em quan­ti­da­des dis­cre­tas que ele cha­mou de quan­ta (latim, “quan­to”). Além dis­so, a ener­gia trans­por­ta­da por um quan­tum depen­de em pro­por­ção direc­ta à frequên­cia de sua fon­te de radi­a­ção.

Por fim, faz hoje anos que nas­cia, em 1941 o pro­gra­ma­dor nor­te-ame­ri­ca­no Ray Tom­lin­son. Ele ficou conhe­ci­do por ter imple­men­ta­do o pri­mei­ro pro­gra­ma de cor­reio elec­tró­ni­co na ARPANET, a rede pre­cur­so­ra da Inter­net. Para con­se­guir isso, ele usou o sinal @ para sepa­rar o nome do uti­li­za­dor do nome da sua máqui­na, um for­ma­to que tem sido usa­do em ende­re­ços de e‑mail des­de então. Pode-se dizer que esta News­let­ter che­ga a todos em par­te gra­ças ao sis­te­ma cri­a­do por este senhor.

Nes­ta sema­na que pas­sou a Spa­ceX fez o seu séti­mo lan­ça­men­to de saté­li­tes Star­link. Foi na pas­sa­da ter­ça-fei­ra que foram colo­ca­dos mais 60 saté­li­tes no espa­ço. A mis­são decor­reu com suces­so ten­do o Fal­con 9 sido lan­ça­do e recu­pe­ra­do com suces­so pela embar­ca­ção “Of Cour­se I Still Love You”.

Tam­bém nes­ta sema­na foi lan­ça­da a nova ver­são do sis­te­ma Ubun­tu, a ver­são 20.04 é uma ver­são LTS e apre­sen­ta inú­me­ras novi­da­des rela­ti­va­men­te ao supor­te e às fun­ci­o­na­li­da­des que com­põe. A Cano­ni­cal, no lan­ça­men­to des­ta ver­são com o nome de códi­go Focal Fos­sa, des­ta­ca a uti­li­za­ção da serie 5.4 do Ker­nel Linux, o supor­te nati­vo do Wire­guard para VPNs, um tool­chain refres­ca­do de fer­ra­men­tas de desen­vol­vi­men­to que inclui o glibc 2.31, OpenJDK 11, Python 3.8.2, php 7.4, perl 5.30, e o golang 1.13. Tam­bém a inter­fa­ce grá­fi­ca foi actu­a­li­za­da para o GNOME 3.36 e foram fei­tas diver­sas melho­ri­as de per­for­man­ce nes­ta inter­fa­ce.

Na News­let­ter des­ta sema­na apre­sen­ta­mos diver­sos arti­gos cien­tí­fi­cos assim como pro­je­tos de maker. São apre­sen­ta­das a revis­ta newe­le­tro­nics de 14 de Abril e a Hacks­pa­ce Maga­zi­ne nº30 de Maio de 2020.

Esta News­let­ter encon­tra-se mais uma vez dis­po­ní­vel no sis­te­ma docu­men­ta do altLab. Todas as News­let­ters encon­tram-se inde­xa­das no link.